A ADJC (Advogados em Defesa da Democracia, Justiça e Cidadania) participa do Fórum Social Mundial 2022, com um debate sobre Guerra Cultural e a luta ideológica no Brasil. O evento ocorre nesta quarta-feira (4), às 20h (horário de Brasília), transmitido ao vivo da Cidade de México, do auditório do Palácio de Minería, no Centro Histórico da capital mexicana.

Aldo Arantes, coordenador nacional da ADJC, e Lúcio Dias, secretário-geral, coautores do livro “Reconstruir a Democracia – união de amplas forças políticas e sociais para a luta ideológica”, farão a exposição da análise e conclusões expostas no livro.

Organizado pela ADJC, o livro foi elaborado de forma interdisciplinar, com ensaios que revelam os meios usados pela extrema-direita para conduzir uma guerra cultural contra a democracia e os direitos sociais, no modelo denominado de guerra híbrida.

O livro também aponta os caminhos para resistir às manipulações, mentiras (fake news) e discursos de ódio e construir uma ampla frente que as derrote e abra caminho para a reconstrução da democracia.

A defesa de uma frente ampla de forças políticas é feita pelos autores para favorecer uma nova correlação de forças que permita avanços civilizatórios e progressistas, em especial nas condições brasileiras, onde, ao lado da luta política, é preciso construir também uma ampla frente ideológica para derrotar a extrema-direita.

Assista à transmissão ao vivo pelo link do evento no Facebook

Leia também: Guerra cultural inverte o sentido original da política ao suprimir o diálogo

“O interesse de trazer este tema para o México é porque a guerra cultural está ocorrendo no mundo inteiro, e achamos importante falar dessa experiência do Brasil para outros países do mundo, pois serve principalmente para a América Latina”, justificou Aldo Arantes.

Ele observou que na programação do Fórum Social Mundial no México, nao tem nenhuma outra mesa debatendo o tema da guerra cultural e ideológica contra a esquerda e os movimentos sociais. “Isso confirma nossa avaliação de que setores da esquerda não agarraram com firmeza essa questão da luta ideológica. Há uma necessidade de combinar luta política com luta ideológica para derrotar o avanço da extrema-direita no mundo”, defendeu.

A ADJC é uma organização brasileira da área do direito que luta em defesa do Estado Democrático de Direito, criada devido aos intensos ataques ocorridos desde o golpe de 2016 que levou ao impeachment de Dilma Rousseff.