O que você está procurando?
PAULO FONTELES FILHO, homenagem a 45 anos de luta

A Senhorita Andreza, os limpinhos e a dura vida nas periferias

Conheci Andreza no último sábado, participando como debatedor da Plenária Estadual da União da Juventude Socialista no Pará. Logo senti, entre aqueles jovens militantes, o ânimo em receber figura tão polêmica, que bomba nas redes sociais e que ficou

Osvaldão, o poema

Osvaldão, o poema

Osvaldão, o poema   Não me matarão.   Sou as gentes simples da Gameleira à Faveira, … as mãos camponesas de Santa Cruz e São Geraldo, e nos garimpos de Itamirim e Xambioá, antevejo nos candeeiros dos meus iguais

Santa Maria de Belém

No centro da cidade vencida organizo a esperança e irrompido pelo tempo clamo por meus heróis: índios, negros, gente miscigenada na seminal revoltosa dos brutais acontecimentos da formação brasileira. Na ponta da lança tupinambá a mão plena de Guaimiaba

Noturno em Brasília

Faz frio e estou insone. Estou sempre insone e vou dormir quando as vozes estão em recolhimento. Há muito venho à Brasília, aliás, nasci em Brasília. Esta cidade, com suas dimensões e imenso céu, deveras atua sobre mim de

Aflaliana

Aflaliana

Aflaliana Faço minha própria defesa contra Calabares contemporâneos, da atroz força escura que golpeia, capitães-do-mato desta época de engravatados moribundos, tristes ratos sorridentes, alcagüetes, tumbeiros dos sonhos do povo. Os lacaios da corte seguem a tradição de não deixar

Carta ao meu pai

Carta ao meu pai

Mas fazer o quê? Senão seguir a vida, não é mesmo meu pai? Ontem passei a noite em claro pensando nessas coisas todas e me perguntava se passaríamos a vida toda com esse sentimento, o da impunidade e que

Paulo Fonteles, mártir da luta pela terra

No transcurso do vigésimo sexto aniversário do assassinato do ex-deputado e advogado de posseiros do Sul do Pará, Paulo Fonteles, ocorrido em 11 de junho de 1987 é, mais do que nunca necessário avaliar suas ideias e legado para