O que você está procurando?

Colunas

A memória histórica como campo da luta de classes (2ª parte)

D. Pedro I: um grito parado no ar Vejamos agora como se constroem socialmente os fatos e personagens históricos, tendo como referência a história Brasil. Comecemos pelo processo de nossa independência política, que teve como um de seus momentos

O Partido Comunista e o problema racial no Brasil

A homenagem a Zumbi foi mais do que justa — este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial. Ele morreu em combate, defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam

Um memorial para a anistia política no Brasil

O projeto do memorial nasce pelas mãos do Ministro da Justiça Tarso Genro em 2008. Os seus principais objetivos são a preservação e a difusão da memória política daqueles que foram perseguidos e assassinados durante a ditadura militar brasileira.

A Revolução Russa e a imprensa brasileira

A Astrojildo Pereira Nos dois casos o povo havia se unido à burguesia para derrubar uma monarquia indesejável. Alguns meses depois a concórdia universal foi quebrada com a radicalização da luta de classes e a explosão de rebeliões operárias.

Cineastas peruanos visitam a Fundação Maurício Grabóis

Eles vieram ao Brasil para participar da exibição do filme “Tupac Amaru” na Cinemateca Brasileira e de outros eventos do mundo cinematográfico. Como membros do Partido Comunista do Peru, aproveitaram a estadia para acompanhar de perto o rico processo

África: colonialismo, racismo e morte
África: colonialismo, racismo e morte

Em Durban as nações africanas, visando reparar uma injustiça histórica, apresentaram a polêmica proposta determinando que os países que praticaram e se beneficiaram do tráfico de escravos e do colonialismo pagassem reparações e se desculpassem formalmente. Exigiram também que

Luiz Gama, percussor do abolicionismo, completa 180 anos

Filho de Luiza Mahin, uma africana nagô que era líder do seu povo, e de um fidalgo português. Nasceu livre, mas foi vendido como escravo pelo próprio pai quando tinha apenas 10 anos de idade. Fugiu do cativeiro e

Tributo a João Amazonas (1912-2002) – Um Comunista Brasileiro
Tributo a João Amazonas (1912-2002) – Um Comunista Brasileiro

Há oito anos (1), no dia 27 de maio, morreu João Amazonas. Seu último pedido traduziria muito bem a personalidade deste líder revolucionário brasileiro. Não queria monumentos em sua memória. Queria apenas que suas cinzas se juntassem às cinzas

Tributo a João Amazonas (1912-2002) – Um Comunista Brasileiro
Tributo a João Amazonas (1912-2002) – Um Comunista Brasileiro

Há oito anos (1), no dia 27 de maio, morreu João Amazonas. Seu último pedido traduziria muito bem a personalidade deste líder revolucionário brasileiro. Não queria monumentos em sua memória. Queria apenas que suas cinzas se juntassem às cinzas