O 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCCh) foi aberto neste domingo (16 de outubro de 2022)

Leia a íntegra do relatório: CLIQUE AQUI

A China está dedicada a promover a criação de uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade, disse Xi Jinping neste domingo na sessão de abertura do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China.

A China adere sempre ao propósito da política diplomática de defender a paz mundial e promover o desenvolvimento comum, apontou Xi.

Enfatizando que a sociedade humana está enfrentando desafios sem precedentes, Xi convocou os países do mundo a fomentar os valores comuns da humanidade como paz, desenvolvimento, equidade, justiça, democracia e liberdade, promover o conhecimento e o entendimento entre os povos, de forma a lidar juntos com os diversos desafios globais. 

Rumo da China

Xi Jinping pediu nesta segunda-feira a todos os chineses que permaneçam unidos como “um pedaço de aço duro” sob a liderança do Partido Comunista da China (PCCh) e se unam com uma mente para mover o navio gigante da revitalização nacional através do vento e das ondas para chegar ao seu destino.

Xi disse que o 20º Congresso Nacional do PCCh aponta os rumos para o desenvolvimento da causa do Partido e do país, e serve como uma declaração política e um programa de ação para que o Partido una o povo chinês para defender e desenvolver o socialismo com características chinesas. 

Socialismo moderno

A China acelerará a criação de um novo paradigma de desenvolvimento em prol do crescimento de alta qualidade, disse Xi Jinping neste domingo.

“Para construir um país socialista moderno em todos os aspectos, devemos, em primeiro lugar, buscar o desenvolvimento de alta qualidade”, afirmou Xi em um relatório na sessão de abertura do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China.

“Devemos levar a cabo o novo conceito de desenvolvimento de forma completa, precisa e integral e, ao mesmo tempo, persistir na direção de reforma da economia de mercado socialista e na abertura ao exterior de alto nível, acelerando a estruturação de um novo paradigma de desenvolvimento de ‘dupla circulação’, sob o qual os mercados nacional e estrangeiro se reforçam entre si, tendo o mercado doméstico como pilar”, disse Xi. 

Globalização econômica

A China expandirá a abertura integral de forma inabalável e promoverá a globalização econômica para ser mais aberta, inclusiva, equilibrada e benéfica para todos, disse nesta segunda-feira um funcionário do principal planejador econômico do país.

Existe um mal-entendido sobre o novo paradigma de desenvolvimento que se concentra na economia doméstica e apresenta uma interação positiva entre fluxos econômicos nacionais e internacionais, disse Zhao Chenxin, vice-diretor da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, em uma coletiva de imprensa à margem do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China.

Ele indicou que é equivocado considerar que, ao se concentrar na economia doméstica, a China diminuirá seus esforços de abertura ou mesmo se voltará para uma “economia autossuficiente”.

A globalização econômica tornou-se uma tendência irreversível, disse ele, acrescentando que a China já está profundamente integrada na economia global e no sistema internacional, e que as indústrias da China e de muitos outros países estão altamente interconectadas e interdependentes.

Ele ressaltou que promover um novo paradigma de desenvolvimento é importante para a China alcançar um desenvolvimento de maior qualidade e mais eficiente, justo, sustentável e seguro. 

Segurança alimentar

A China vem melhorando sua capacidade de garantir a segurança alimentar na última década, com maior produção anual de grãos e operação estável no mercado, disse um funcionário nesta segunda-feira.

Com uma boa situação de segurança alimentar, “a China garantiu que seu fornecimento de alimentos permaneça firmemente em suas próprias mãos”, afirmou Cong Liang, chefe da Administração Estatal de Cereais e Estoques, em uma coletiva de imprensa à margem do 20º Congresso Nacional do Partido Comunista da China.

A produção de grãos da China está acima de 650 milhões de toneladas há sete sólidos anos. Em 2021, o número atingiu uma nova alta, de 682,85 milhões de toneladas.

Como evidência da capacidade para garantir a segurança alimentar, as terras agrícolas da China totalizam 128 milhões de hectares, os armazéns padrão do país podem guardar 700 milhões de toneladas de grãos e o número de empresas de processamento de grãos para resposta à emergência chega a 6 mil.

Embora os mercados globais de alimentos tenham sido instáveis nos últimos anos, o mercado chinês manteve suprimento suficiente e operação estável, atendendo efetivamente às necessidades da população e contribuindo para o desenvolvimento econômico saudável e a estabilidade social, disse Cong, acrescentando que a China continuará sendo bem preparada para garantir a segurança alimentar.