O combate à pobreza e a valorização dos saberes tradicionais são os grandes temas destacados na 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que começou domingo (22/7) em São Luís, no Maranhão. O evento promove um bumba meu boi científico e fora de época até 27 de julho, na Universidade Federal do Maranhão, e tem como tema ‘Ciência, cultura e saberes tradicionais para enfrentar a pobreza’.

Leia também:

Renato Archer, 90 anos: legado e atualidade

Em tempos de Rio+20, a sustentabilidade também marca presença no encontro. Com o intuito de economizar materiais como papel e plástico, foi abolida a ditadura do ‘cara-crachá’ – só os palestrantes e o pessoal da organização do evento receberão a identificação este ano – e os livretos com informações sobre a programação, mapas e guia de serviço foram unificados e reduzidos, para facilitar a consulta e evitar o desperdício.

Com um público estimado de mais de 10 mil pessoas, a reunião contará com a presença de autoridades, gestores do sistema nacional de ciência e tecnologia, pesquisadores, professores e alunos de todo o Brasil, além dos demais interessados em participar das atividades programadas. Uma das participações mais especiais deste ano será a do químico israelense Dan Shechtman, ganhador do prêmio Nobel da área em 2011.

A programação científica, composta por conferências, simpósios e mesas-redondas e diversas outras atividades, aborda temas como o programa espacial brasileiro, as populações quilombolas, medicina tropical, economia do babaçu, comunidades ribeirinhas e fontes alternativas de energia, além de educação e divulgação científica, entre muitos outros assuntos.

Seguindo a tradição, haverá ainda diversos eventos paralelos: a ExpoT&C (mostra de ciência e tecnologia), a SBPC Cultural (atividades artísticas regionais) e a SBPC Jovem (programação voltada para estudantes do ensino básico e profissionalizante).
__________

Com informações da “Ciência Hoje”.